Infinity Lore

rpg
 
InícioCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 introdução a rpg de fórum

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Abraaozinho
Admin
avatar

Mensagens : 13
Data de inscrição : 25/02/2017

MensagemAssunto: introdução a rpg de fórum   Sab Fev 25, 2017 11:05 pm

vamos lá:

Role-playing game, também conhecido como RPG (em português: "jogo de interpretação de personagens"),1 é um tipo de jogo em que os jogadores assumem os papéis de personagens e criam narrativas colaborativamente. O progresso de um jogo se dá de acordo com um sistema de regras predeterminado, dentro das quais os jogadores podem improvisar livremente. As escolhas dos jogadores determinam a direção que o jogo irá tomar.

Ou seja, no RPG, você pode criar e interpretar um personagem ou até mesmo criar um mundo, onde várias pessoas podem participar e viver neste mundo. Existem vários tipos de RPG, sejam virtuais, via skype, talvez o mais comum que é o de mesa e no nosso caso, o via Fórum. Este tipo de RPG se assemelha bastante com o RPG de mesa, onde um mestre pode criar o RPG e o mundo e outras pessoas participarão deste RPG, com rolagem de dados para acertos ou até mesmo, usando apenas o critério de interpretação.


Categorias: São elas que definem em que área vocês estão, e o que podem fazer nela. Tem categorias que possuem “fóruns”, e eles tem assuntos definidos. Uma categoria “Inicio” por exemplo, pode conter fóruns como “Regras e Avisos”, “Apresente-se”, “Parcerias” e etc…

Fóruns: São eles que possuem os tão importantes “tópicos”, aonde toda a magia acontece. Um “Fórum” pode conter vários “fóruns”, e cada um geralmente contém uma descrição sobre o que ele trata. Como no exemplo anterior, um fórum da categoria “Inicio” chamado “Regras e Avisos” que contém em sua descrição: “Regras e Avisos de nosso site.”

Tópicos: Estes sim são “as mesas” do RPG. Existem duas modalidades de jogar RPG por fórum (que serão explicadas mais adiante), e ambas utilizam dos tópicos. Na verdade, 80% do jogo depende deles. Os tópicos são aonde o narrador disponibiliza as informações do jogo que será narrado, quantos pontos poderão ser distribuídos e qual o nível da aventura. E em um outro tópico, após todos os pré-requisitos terem sidos preenchidos, a aventura começa.

Aventura: Este é o modo tradicional dos RPGs por fórum. O narrador cria um tópico de Inscrições, especificando todos os requisitos de sua campanha e dando uma pequena introdução sobre o tema da aventura. Os jogadores se inscrevem e aguardam a aprovação de seus personagens. Após o termino da data de inscrição, ou acabando as vagas, o narrador abre um novo tópico chamado Campanha (e o nome de sua aventura ao lado do título), e lá ele faz a primeira narrativa e estipula quem começa. Tudo no RPG acontece ali e por MPs (Mensagens Pessoais).

Campanha Free:  Este modo é um pouco mais incomum, porém traz grandes diversões para quem é adepto. . Neste modo não há narrador, e sim interpretação livre. Geralmente há um tópico com uma lista de personagens oficiais (caso o fórum possua uma temática, como o nosso) dizendo quais estão liberados para usar e quais já estão em uso. Além disso, a staff do fórum age como “Narradores” em certos momentos críticos, aonde o bom senso e o raciocínio se ausentam dos jogadores. Neste modo o jogo acontece em vários tópicos, e cada tópico é uma cidade, reino, país, plano de existência diferente e adentrar e interagir com quem está lá fica à sua escolha.

Ambos os modos são fáceis de jogar, e com certeza sua rede de amigos também aumentará com isso. Você conhecerá pessoas de vários lugares, que curtem o mesmo tema da aventura que está sendo narrada e tão logo poderá jogar com elas mais vezes. Incrível, não ?



NARRATIVA

Durante as narrativas do jogo é importante que os papéis do Jogador e Narrador fiquem bem definidos. Para isso, o bom senso é que estabelece o limite ou o ponto em que o narrador e jogador podem invadir na Narrativa.

Cabe ao Narrador, por exemplo, descrever a cena com riqueza de detalhes, pontuando o que for mais importante para a Crônica, simulando a atenção que dispensamos às coisas quando as percebemos com nossos sentidos. Para isso, é comum que se utilize o campo de visão e audição do personagem como limite. Ou seja, o Narrador descreve apenas o que o personagem pode ver/ouvir, e cabe a ao jogador decidir o que fazer em seguida. Também não é de “bom tom” que o Narrador interfira nas ações do jogador, determinando suas falas, gestos ou pensamentos. O personagem é uma ferramenta do Jogador, e cabe a ele decidir o que este pensa, fala ou faz.

Entretanto, em alguns casos específicos o narrador pode (e deve) intervir. Principalmente nos casos em que se faz necessária a implantação de alguma informação. Diversas situações podem colaborar por uma narrativa mais invasiva por parte do Mestre. Caso o jogador não tenha chegado à conclusão que o Narrador esperava (ou precisava), ao ver determinados fatos, ele pode narrar que o jogador “percebeu a ligação entre as coisas”, ou se valer de outros artifícios para deixar as coisas mais explícitas.

Outro exemplo comum é quando a cena exige que o personagem expresse algumas fraquezas (como o medo, fome, dor, inferioridade, humildade etc), mas o jogador a recusa. A paixão que o jogador desenvolve pelo seu personagem, às vezes, colabora para que o mesmo não queira demonstrar estas fraquezas. Nestes casos, para garantir o desenvolvimento da Crônica, e a boa interpretação da cena, o Narrador deve informar que o personagem de fato “sentiu medo”, “teve que fugir” ou não pode fazer determinado movimento “por causa da dor”. Elementos que fogem do controle do jogador também podem ser colocadas pelo narrador, como por exemplo, algumas características fisiológicas (sede, fome, frio etc).

No caso do jogador, pede-se que o mesmo não interfira na narrativa da Crônica. Entende-se por isso, que ao postar uma mensagem no fórum, narrando as atitudes do personagem, o jogador não deve trazer para a cena aquilo que não foi previamente mencionado. Veja o exemplo:

Exemplo de Cena escreveu:
Narrador: Norah recebeu um pequeno pacote de papelão, com não mais do que 10 cm³. Ao abri-lo, encontrou um estojo ainda menor, cuidadosamente depositado sobre jornais amassados, provavelmente para que não chacoalhasse no transporte. Tratava-se de um estojo de camurça negra, com um pequeno fecho dourado.

Jogador: Depois de passar pelo espanto de receber um pacote inesperado, e pelo surto de curiosidade ao abrir a caixa de papelão, Norah não resistiu, e abriu a caixinha negra também. Ela ficou maravilhada com o pequeno anel de brilhantes que encontrou.


Note que na cena acima não foi mencionado, em momento algum, o que havia dentro da pequena caixinha de camurça negra. O suposto “anel de brilhantes” foi uma criação do jogador, sem saber o que o Narrador estava guardando para aquele objeto. Em casos como estes, o Mestre pode (e deve) desconsiderar o post, e exigir uma nova ação por parte do jogador.

Fora essas recomendação, lembre-se que ações do tipo:

Exemplo (péssimo) de Cena escreveu:
Abro a geladeira e pego o leite


São para chats de RPG, não jogos de interpretação. Uma cena como a da frase acima ficaria muito mais intensa se fosse narrada de outra forma, como por exemplo:

Exemplo (razoável) de Cena escreveu:
Sentindo o fundo do estômago roncar, já que se passava certo tempo desde sua última refeição, ele foi até a cozinha. Num movimento quase instintivo, caminhou em direção à geladeira e abriu a porta, sentindo o ar gelado lhe batendo na face. Não demorou muito e sua fome lhe indicou um caminho aceitável: o leite. Sem pensar muito, ele pegou a caixinha já aberta, enquanto lambia os lábios em aprovação...


Por fim, um fator importante, é que o jogador sempre deixe claro o que está fazendo com seu personagem. É necessário que este procure descrever a cena com o máximo de detalhes possíveis, como por exemplo, o uso de algum artifício (como poderes, habilidades especiais etc), a intenção de ocultar alguma coisa dos outros personagens, etc.

Também pede-se que evite mensagens “OFF Game” durante as postagens. É muito comum que se utilize a inscrição “OFF” antes de algum comentário, dentro da narrativa, para caracterizar uma informação que o jogador deseja incluir, mas que não faz parte da ação. Exemplo:

Exemplo de Cena escreveu:
Antonine caminhou em silêncio até a beirada do penhasco. Lá de cima, visualizou toda a cidade, com suas luzes acesas, formando um verdadeiro mar iluminado. Embora não quisesse fazer aquilo, ele precisava, então executou. Com um cântico lânguido ele induzia ordens sonambúlicas à mente de todas as crianças menores de 10 anos da cidade, convidando-as a seguir em direção ao Rio Daniev.

OFF: Narrador, Antonine está utilizando seu dom de “Encantador de Ratos” nas crianças da cidade.

E após essa grande leitura, acredita-se que você esteja pronto para entrar de cabeça no RPG via Fórum. Em caso de dúvidas, não hesite em procurar os moderadores que eles farão de tudo para te ajudar.

fonte(s): tormentadavez, rpgviaforum, wikipedia, projetoRPG
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://infinitylore.forumeiros.com
 
introdução a rpg de fórum
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Introdução - Sob a Suástica Nazista
» Criando jogos em VB.NET - Introdução
» Script de apresentação antes do title
» Para aprender a usar o RMXP (Parte 1: Introdução)
» Tutorial: Tut #1 Aprendendo a desenhar - Introdução e Conselhos Basicos

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Infinity Lore :: Area OFF :: Guia do novato :: interpretação em forúm-
Ir para: